Escriba
Transformação digital nos cartórios extrajudiciais também é um hábito SUSTENTÁVEL

A transformação digital é realidade no dia a dia da sociedade como um todo, principalmente após o início da pandemia, em 2020, ano no qual muitas empresas precisaram realizar adaptações para evitar aglomerações em suas estruturas físicas. É notório que o desenvolvimento de ferramentas e plataformas tecnológicas têm facilitado a vida do cidadão. Assim como diversos setores, os serviços extrajudiciais também precisaram inovar, passando a oferecer muitos dos seus serviços online.

Por meio do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Provimento 100 passou por mudanças, dispondo sobre a prática de atos notariais de modo eletrônico, com a instituição da plataforma e-Notariado. Um passo à frente, com a modernização dos processos operacionais dos tabelionatos, proporcionando agilidade, eficiência, padronização e segurança jurídica às pessoas e empresas.

SUSTENTABILIDADE

E os benefícios com o investimento em tecnologia em cartórios extrajudiciais não param por aí. É possível perceber a redução das despesas operacionais e o mais importante: a contribuição em benefício do planeta Terra. Houve redução da utilização de papel, por exemplo, tendo em vista que é possível assinar diversos documentos de forma digital.

Um outro exemplo, é o projeto Cartórios 2030 – Desenvolvendo o futuro com sustentabilidade, que tem como foco a Agenda 2030, coordenada pelas Nações Unidas. Entre os objetivos da Agenda, está a proteção ao meio ambiente.

Aprovada em 2018, a Agenda 2030 foi adotada por 193 países, incluindo o Brasil. O Provimento nº 85/2019, instituído pelo CNJ, prevê a adoção desses objetivos em todos os cartórios extrajudiciais do país.